vitoria de imovel

Vistoria Imobiliária: entenda por que é importante

 

Na hora de devolver o imóvel locado surge o impasse, o locador não aceita a restituição e alega que o imóvel não está nas mesmas condições de quando foi locado. O locatário afirma que sim e que não vai arcar com melhorias indevidas. Como resolver? Simples, Vistoria Imobiliária!

Neste artigo você vai compreender um pouco mais sobre o conceito de vistoria imobiliária locatícia e a importância da vistoria do imóvel.

vistoria imobiliaria

 

Conceitos gerais

Para um perfeito entendimento do assunto, faz-se previamente necessária uma revisão dos significados dos termos utilizados, onde inicialmente temos a definição de VISTORIA, conforme “Glossário de Terminologia Básica Aplicável à Engenharia de Avaliações e Perícias” do IBAPE/SP – Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias do estado de São Paulo:

VISTORIA: Constatação local de fatos, mediante observações criteriosas em um bem e nos elementos e condições que o constituem ou o influenciam (NBR 14653-1).

O produto gerado por uma vistoria é um Laudo de Vistoria, onde utilizando a mesma fonte acima citada temos a seguinte definição:

LAUDO: Parecer técnico escrito e fundamentado, emitido por um especialista indicado por autoridade, relatando resultado de exames e vistorias, assim como eventuais avaliações com ele relacionados.

Em complemento a definição acima, ainda com a mesma fonte:

PARECER TÉCNICO: Relatório circunstanciado, ou esclarecimento técnico emitido por um profissional capacitado e legalmente habilitado sobre assunto de sua especialidade (NBR 14653-1).

Voltar

 

O que é Vistoria Imobiliária Locativa

VISTORIA IMOBILIÁRIA LOCATIVA é uma atividade técnica, realizada por profissional capacitado e legalmente habilitado, que objetiva a constatação de fatos em um bem e nos elementos e condições que o constituem, mediante observações criteriosas e produzindo um relatório técnico constando os resultados obtidos, que servirá como materialização e comprovação da situação do bem antes e depois do período de locação.

O Laudo de Vistoria Imobiliária Locativa deve constar do contrato de locação, sendo realizado e apresentado previamente a ocupação do imóvel onde cabe ainda ao locatário sua análise e contestação.

Ao término do contrato de locação uma nova Vistoria Imobiliária Locativa deve ser realizada, visando identificar a situação do imóvel na restituição ao proprietário e as eventuais divergências frente à vistoria realizada no início do período de locação. Este Laudo de Vistoria pode ainda apontar desvios de uso e conservação bem como os custos para restituição do bem a condição anterior, conforme Laudo de Vistoria constante do contrato de locação realizado no início do contrato.

O objetivo da Vistoria Imobiliária Locativa é evitar possíveis desentendimentos entre as partes (locador e locatário), garantindo ao locador a restituição do seu imóvel nas mesmas condições em que foi disponibilizado e proporcionar condições justas para resolução de quaisquer divergências identificadas.

Certamente este objetivo somente pode ser alcançado se atendido dois requisitos fundamentais:

  1. a vistoria deve ser realizada por um agente externo ao processo de locação, sem relação comercial com qualquer das partes, visando garantir a imparcialidade das informações contidas no laudo de vistoria;
  2. a vistoria deve ser realizada por profissional capacitado e legalmente habilitado, seguindo normativas técnicas, visando garantir que todos os aspectos do bem, de seus elementos e condições constituintes sejam devidamente contemplados e avaliados na vistoria.

Voltar

 

Profissional legalmente habilitado para realizar a vistoria imobiliária

Para esclarecer o significado de “profissional capacitado e legalmente habilitado” temos abaixo a transcrição da legislação sobre o assunto.

Lei 5.194/66 – Regula o exercício das profissões de Engenheiro, Arquiteto e Engenheiro-Agrônomo, e dá outras providências.

Art. 2º O exercício, no País, da profissão de engenheiro, arquiteto ou engenheiro-agrônomo, observadas as condições de capacidade e demais exigências legais, é assegurado:
a) aos que possuam, devidamente registrado, diploma de faculdade ou escola superior de engenharia, arquitetura ou agronomia, oficiais ou reconhecidas, existentes no País;

Art. 7º As atividades e atribuições profissionais do engenheiro, do arquiteto e do engenheiro-agrônomo consistem em: … c) estudos, projetos, análises, avaliações, vistorias, perícias, pareceres e divulgação técnica;

Art. 13. Os estudos, plantas, projetos, laudos e qualquer outro trabalho de engenharia, de arquitetura e de agronomia, quer público, quer particular, somente poderão ser submetidos ao julgamento das autoridades competentes e só terão valor jurídico quando seus autores forem profissionais habilitados de acordo com esta lei.

Art. 55. Os profissionais habilitados na forma estabelecida nesta lei só poderão exercer a profissão após o registro no Conselho Regional, sob cuja jurisdição se achar o local de sua atividade.

Acima de tudo, a Vistoria Imobiliária Locativa é uma atividade técnica, de atribuição exclusiva dos engenheiros e arquitetos, devidamente registrados nos Conselhos Regionais, atendendo a locação de imóveis para fins residenciais, comerciais e industriais.

Voltar

 

Por que realizar uma Vistoria Imobiliária Locativa

A Vistoria Imobiliária Locativa (VIL) pode ser realizada para todos os tipos de imóveis (terrenos e edificações) e para todos os fins (residencial, comercial, industrial).

Como resultado a VIL evita possíveis desentendimentos entre as partes (locador e locatário), garantindo ao locador a restituição do seu imóvel nas mesmas condições em que foi disponibilizado e proporcionar condições justas para resolução de quaisquer divergências identificadas.

A VIL realizada no início do período de locação materializa e comprova a situação do bem e dos elementos e condições que o constituem ou o influenciam, antes da transferência da posse de imóvel.

O Laudo da VIL registra o status quo (estado atual) do bem e fará parte do contrato de locação, servindo de base de comparação para o momento da restituição do imóvel ao final do contrato.

A VIL realizada ao término do contrato e devolução do imóvel deve apontar desvios de uso e conservação, caso haja, bem como os custos para restituição do bem a condição anterior quando comparado com o laudo da VIL do início da locação e integrante do contrato.

Todas as partes envolvidas no processo de locação têm interesse e vantagem na realização da vistoria.

O Locador

Garante uma avaliação completa da atual situação do imóvel e meio para comparar com o estado em que receber no término do contrato. Desta forma, preserva o valor do seu bem para negócios futuros.

O Locatário

Inicia a relação contratual sabendo exatamente o que está recebendo e como deve restituir no término do contrato.
A VIL no término irá apresentar a adequação do imóvel a VIL inicial e garantir o encerramento adequado do contrato. Assim não haverá exposição a critérios subjetivos de rejeição de itens vistoriados e prorrogação indesejada do contato.

A Imobiliária

A realização da VIL por profissional capacitado e legalmente habilitado ratifica o profissionalismo da imobiliária, seu comprometimento com a imparcialidade e a excelência no atendimento as necessidades e direitos dos seus clientes. Evita também discussões sobe critérios subjetivos no momento da devolução do imóvel e verificação do seu estado de devolução ou sobre a qualidade do contrato de locação. Além disso, permite a imobiliária concentrar seus recursos humanos e financeiros na sua atuação principal (core business), buscar melhores negócios para seus clientes e realizar a gestão adequada do contrato de locação.

projetos de engenharia

Projetos de engenharia: você realmente precisa disso?

Você compraria alguma coisa que não precisa nem vai usar para nada?

Se sua resposta for não, então você não deve contratar a elaboração dos projetos de engenharia.

Ao mesmo tempo em que esta resposta possa parecer estranha, ainda mais vinda de um engenheiro, ela é totalmente lógica. Afinal, qual o objetivo em se investir em algo que não precisamos nem terá qualquer serventia para nós?

 

Projeto

Para explicar melhor essa resposta, antes é preciso entender o que é um projeto.

Basicamente o projeto é uma instrução técnica para construção ou fabricação de algo. Sua correta utilização depende de conhecimento específico para adequada leitura e utilização no processo de produção a que se destina. Assim, o projeto é um meio para um final específico e não um produto final em si.

Por acaso alguém já contratou um projeto com o simples objetivo de contempla-lo? Fixá-lo na parede e admirar, mostrar para os amigos e guardar de recordação? Acho muito pouco provável este ser o objetivo inicial.

Os arquitetos e engenheiros possuem qualificação e experiência em resolver problemas e atender necessidades, de forma criativa, funcional, segura e eficiente.

 

Solução adequada a sua necessidade

Quando se busca esses profissionais o foco deve ser na sua real necessidade, interesses e expectativas, seja para construir ou reformar seu apartamento, casa de praia, loja ou qualquer outro tipo de imóvel.

São os profissionais que têm a missão de avaliar todos estes fatores e compatibilizar com os requisitos legais, técnicos, funcionais, critérios de uso e manutenção, segurança, desempenho e ainda resolver de forma eficiente e eficaz os desafios encontrados. A componente artística sempre estará presente, onde nos projetos de arquitetura ela é mais externa e por isso mais facilmente percebida e nos projetos de engenharia elas são internas, relacionadas às soluções adotadas.

Desta forma, seu objetivo deve ser contratar uma solução e passar para o profissional, de maneira clara e mais completa possível, todas as suas necessidades e interesses para que este possa desenvolver a solução adequada. Só então o profissional poderá traduzir isso tudo em um conjunto de projetos que posteriormente serão usados por outros profissionais para materializar (construir) a solução desenvolvida.

Esse mesmo conceito vale para as aprovações e legalizações. Este não deve ser o objetivo principal, visto que os profissionais tem a obrigação de atender a legislação e as normas técnicas. Assim, uma solução desenvolvida para atender todas as suas necessidades, certamente será aprovada e legalizada, já o inverso é receita para uma grande frustração futura, pois pode gerar um imóvel aprovado que não atende suas necessidades.

Numa comparação simplificada, você vai ao médico com o objetivo de conseguir uma receita ou curar uma doença?

O projeto, apesar de ser um produto, é necessário e será usado por quem for construir ou reformar o imóvel e não pelo contratante. Este se beneficiará da solução desenvolvida pelos profissionais quando a etapa de produção estiver concluída e seu objetivo finalmente atendido.

construir sua casa

Construir sua casa em 5 etapas e sem risco. Saiba como!

 

Quando você pensa em construir sua casa logo vem a mente aquela quantidade enorme de problemas como: contratar arquiteto, engenheiro, pedreiro, eletricista, encanador, comprar material de construção, obter as licenças para construir, registro em cartório, gasto maior que o previsto, atraso e muito mais, certo?

Mas não precisa ser assim se seguir alguns passos bem simples.

Basicamente essa percepção de um quase caos acontece devido a um início mal estruturado e assim todo o restante sofre as consequências.

A construção da casa dos seus sonhos não precisa ser um pesadelo e para evitar todos estes problemas basta seguir 5 etapas:

 

 

Defina sua casa dos sonhos

O primeiro passo é definir seus requisitos, ou seja, o que você deseja. E essa definição precisa contemplar diferentes níveis de abrangência.

Estabeleça três níveis e para cada um deles detalhe tudo que sua casa deve conter, sendo:

  1. no mínimo deve possuir isso: com os requisitos mínimos que de forma alguma você abre mão;
  2. seria muito bom se também tivesse: com itens complementares ao anterior, mas que ficaria muito feliz caso sua casa tivesse;
  3. mais que um sonho: com os itens mais que especiais, onde além dos anteriores seria simplesmente fabuloso que sua casa tivesse.

Com esses três detalhamentos bem especificados, será possível desenvolver os projetos com foco total nos seus desejos e necessidades sem o risco de esquecer algo importante ou gastar tempo e dinheiro com algo que não precisaria.

Que tal algumas ideias para ajudar na inspiração da casa dos seus sonhos?

Separei dois sites com imagens de algumas casas que podem te ajudar a decidir o que quer, e oque não quer:

– Incrível.club: 20 casas dos sonhos

Homifye: 5 casas dos sonhos

Voltar

 

 

Defina um orçamento e data para conclusão

O próximo passo é estabelecer uma meta de gasto, ou seja, sua disponibilidade financeira para investir na construção da sua casa e uma data limite onde precisa da casa pronta para morar.

Esses parâmetros servirão como um farol para o navio, onde será possível sempre avaliar se as metas estão sendo seguidas e os desvios podem ser rapidamente identificados e ajustados.

Importante destacar dois fatores neste item:

  • o primeiro é que a urgência custa caro, assim como a demora excessiva. Avalie sua real necessidade para desenvolver a construção por completo, paralisações causam enormes prejuízos, assim como a pressa, pois deixa de selecionar os melhores profissionais e fornecedores, e as melhores condições de compra dos materiais, ficando refém apenas de quem consegue lhe atender;
  • um orçamento prévio é fundamental, pois servirá de parâmetro para todos os gastos da obra. Não definir um orçamento achando que basta “cuidar” é um erro fatal, como navegar as cegas e achar que vai chegar ao seu destino. Ao final, quando notar que não teve sucesso, além de não saber onde foi o erro não terá fôlego para terminar a jornada.

Voltar

 

 

Escolha um especialista logo no início

Com as etapas anteriores concluídas, busque a assessoria profissional qualificada para desenvolver os projetos necessários a construção da sua casa, de forma que atendam tudo que você definiu anteriormente.

Nesta etapa é muito importante buscar um profissional ou uma equipe que possua experiência na execução de todo o processo, para antecipar as necessidades e auxiliar na etapa da construção.

É comum imaginar que o engenheiro ou arquiteto são necessários apenas para elaboração dos projetos para aprovação e que apenas estes são de fato necessários por uma questão de registro ou fiscalização.

Claro que as aprovações são necessárias mas os projetos aprovados tem apenas a função de garantir que a casa segue a legislação, não contemplam quase nada em termos de execução, e essa falta acaba sendo resolvida na obra, de forma menos adequada e resultando em maior custo e demora para o cliente.

Os projetos não são apenas papel, são a diretriz para execução.

Você consegue imaginar uma daquelas corridas de rally onde o navegador, que vai ao lado do piloto, não esteja com o mapa nas mãos?

Já viu a diferença em fazer compra de mercado com e sem lista de compras nas mãos?

Então, a obra é execução.

E execução é para executar e não para pensar e projetar, isso deve ser feito antes para garantir o atendimento as normas, aos desejos dos clientes, a capacidade financeira, ao planejamento e prazo da obra, de forma que a execução esteja alinhada com esses objetivos.

Sem isso, a obra se “toca” da forma que dá e certamente terá um resultado diferente do desejado.

Estudos mostram que para cada R$1 que deixa de investir em projeto e assessoria técnica, aumenta o custo da obra em até R$30, em desperdício, retrabalho, atraso, redução de segurança e desempenho entre outros fatores.

Por isso, é fundamental a apoio profissional desde o início.

Voltar

 

 

Mãos à obra

Dedique tempo para escolher de forma bem criteriosa os profissionais que farão a construção.

Peça referências de clientes, visite obras em andamento, e principalmente obras com mais de 3 anos de finalizadas.

Assim poderá avaliar como esses profissionais organizam a obra, cuidam dos seus materiais, se dominam as técnicas de construção de forma a evitar problemas futuros.

Muito importante exigir que todos os profissionais sejam devidamente registrados, que haja profissional qualificado e legalmente habilitado e que a empresa possua o devido registro.

Como dono da obra e contratante, sem esses cuidados poderá ter grande dor de cabeça com acidentes de trabalho e causas trabalhistas por exemplo.

Não use apenas o valor como forma de decidir, lembre que não existe mágica, e valores muito distantes dos valores justos certamente irão comprometer a sua obra e gerar muita dor de cabeça, prejuízo e um produto de qualidade inferior.

Voltar

 

 

Encerre com maestria

Terminada a construção, faça um recebimento minucioso da obra.

Alguns itens possuem garantia somente no momento da entrega. Exija o “as built” de todos os projetos (versão final com modificações realizadas, caso houver), o Manual do Proprietário, notas fiscais e garantias de equipamentos, materiais e serviço e o Termo de Garantia do construtor.

Se você seguiu todos os passos anteriores terá uma casa do jeito que sonhou, executada com qualidade, dentro do seu orçamento, entregue no prazo e com as mesmas garantias dos apartamentos adquiridos de incorporadoras, sem o custo do lucro da incorporadora e dos corretores.

Com um pouco de organização e algumas metas bem definidas, aliados a uma assessoria técnica adequada, a construção da sua casa dos sonhos se tornará uma belíssima realidade.